sábado, 23 de abril de 2011

ATITUDES E PALAVRAS

As costas doíam-lhe. Estava avessa ao dia, queria a escuridão novamente. Na cegueira do amanhecer tateou, procurava o corpo que lhe fizera companhia, na noite. No frio da noite e no calor dos corpos. Custou a perceber-se no vazio do quarto, da sala, da casa. O cheiro de uma lembrança - vaga como o aroma de pão lá da esquina - vinha como se não fosse sua: a respiração próxima à face; o afago nos cabelos. Sentira mesmo. Escorregava por entre os lençóis ainda num sono muito sono e um vazio na barriga insistia em não dar-lhe sossego. Mas era melhor assim. Sentira-se, nestas últimas horas, simples, numa vida simples. E perdeu-se por um bom tempo vagando os olhos pelo quarto: a cama, grande demais para ela; os vários quadros; a porta da varanda aberta, um pouco; as rosas que ele me trouxe num belo vaso, ao lado da TV; a porta, do quarto, fechada. Não deixara bilhete. Na verdade o recado que ficara fora a brisa do beijo; o toque nos cabelos. Era como se dissesse que voltaria.

Prazos. Alguém dissera a Abgail que não se esquecesse dos prazos. Talentosa que era sempre os cumpria. Por isso a folga em fazer o próprio horário. Mas era rigorosa consigo. Só de uns tempos pra cá é que se deu o luxo de realmente mexer em seus próprios horários. Tinha amigos agora. Gente que se importava com ela. Que a amava. Eu os amo. E observavam-na sempre. Na empresa era tida como a queridinha. Muitos funcionários antigos temiam perder o cargo para uma estagiária. Nem se formou ainda!
Para Abgail não era o conhecimento que se detinha que fazia a diferença. Postura e competência são o que contam. Podia passar o tempo observando o eixo do sol. Era competente. O pai, Idalino, dizia que ela observava tudo. Perdia um tempão olhando e depois ia lá e fazia o que fosse, certinho. Não é olhar, é saber olhar. Entender o funcionamento, das coisas, da vida, de tudo. É ter a sensibilidade de ir ao âmago e perceber as nuances.

A gradação da voz de uma música suave fazia-lhe pensar. Apoiou a cabeça em uma das mãos e viajou na rouquidão doce da cantora. Era triste a melodia e parecia tocá-la. No mais, fechou os olhos e não quis mais pensar. Que caminhos?